A Nossa Luta Interior

17 abril 2018

ROMANOS 7:15-25

 

O grande apóstolo Paulo, abre o seu coração e nos fala de sua luta interior que se constitui no dilema do cristão: “Não faço o que prefiro e sim o que detesto”; “Por que não faço o bem que quero, mas o mal que não quero, esse faço” (Romanos 7:15 e 19). Isso também acontece com você? Ora, se acontecia com o servo tão consagrado a Deus que foi o apóstolo Paulo, imagine conosco.

A luta do cristão é antes de tudo, uma luta moral e essa luta não se vence automaticamente, nem se vence rebaixando os valores morais e éticos, mas se vence com coragem, determinação, luta, abnegação e fé, vivendo na dependência do Espírito Santo de Deus que nos dá a força para vencer!

 

I – POR QUE FAÇO O QUE NÃO QUERO?

Esse conflito envolve o chamado velho homem, a velha natureza carnal e pecaminosa, voltada sempre para o mal. O homem tem facilidade em pecar, é atraído pelo pecado (Romanos 7:18), mas tem dificuldade para praticar o bem, visto que a sua natureza carnal precisa ser regenerada, restaurada, santificada e liberta. Muitos até demonstram interesse em fazer o bem, mas ficam só no desejo mesmo, no discurso, pois na prática, acabam fazendo o mal, fazendo aquilo que não gostariam de fazer.

Quando não fazemos a nossa vontade, então a nossa liberdade foi tolhida. E se perdemos a liberdade, logo fomos feitos escravos e necessitamos de libertação (Romanos 7:14-15). “Não sabeis que daquele a quem vos ofereceis como escravos para obediência, desse mesmo a quem obedeceis sois escravos…?” (Romanos 6:16). Pois é, o pecado escraviza o homem e o “salário do pecado é a morte” (Romanos 6:23). Só Jesus pode nos libertar do pecado (João 8:36) e uma vez libertos, lutaremos para sempre praticarmos o bem. Convido você a vir para Jesus e Ele te libertará!

 

II- POR QUE NÃO FAÇO O QUE QUERO?

O apóstolo Paulo diz: “na minha carne não habita bem algum; com efeito o querer o bem está em mim, mas o efetuá-lo não está” (Romanos 7:18). Então, temos o desejo de fazer o bem, mas não conseguimos fazê-lo. Por que? A resposta está na nossa “carne”. O desejo de fazer o bem realmente habita no homem regenerado, naquele que decidiu servir a Deus, naquele que possui um coração voltado para Deus, mas apenas a boa intenção não resolve o problema da carne, isto é, o frear os desejos carnais pecaminosos. Precisamos de muito mais do que o desejar fazer o bem, precisamos estar libertos para que no exercício dessa liberdade, praticarmos o bem.

Nessa luta interior, muitos já desistiram e se entregaram ao pecado, ao domínio do mal. Outros se esforçam para resistir a esse poder e domínio, mas são vencidos diariamente e caem na tentação, pois eles estão lutando sozinhos. Só existe uma forma de vencermos essa força, esse poder do mal: entregarmos a nossa vida, a nossa vontade, a nossa mente, o nosso coração a Jesus! Você deseja vencer essa luta interior? Então, entregue-se a Jesus agora mesmo!

 

CONCLUSÃO: Para vencermos essa luta interior, não conseguiremos com um “eu” dividido. O velho homem precisa ser vencido para que o novo homem possa nascer e se desenvolver. Jesus é aquele que liberta esse novo homem, essa nova natureza voltada para o bem. Decida de uma vez por todas a entregar a sua vida a Jesus e esse “novo homem” será liberto e assim o bem que você deseja fazer, você conseguirá fazê-lo. Com Jesus e só Com Jesus é que conseguiremos vencer a nossa luta interior!

 

 

Lição de Célula Nº 854 – 16 a 22/04/2018 – Aps. Wagner & Eunice

Tags: ,